sábado, 7 de outubro de 2017

SARGENTO REFORMADO MORRE EM TROCA DE TIROS NA CIDADE DE LARANJEIRAS

Segundo informações passadas nas redes sociais faleceu hoje, 07/10, o Sargento reformado da Polícia Militar do Estado de Sergipe, Paulo Oliveira Silva.

Ainda, segundo tais informações, o Policial Militar foi baleado na cidade de Laranjeiras, Povoado Pedra Branca, em troca de tiros com suspeitos de terem roubado o carro de um genro do Sargento.

Além do policial aposentado que acabou falecendo, também fora atingido o seu genro. os dois estavam juntos em acompanhamento aos suspeitos de praticarem o assalto.

Infelizmente é mais um militar servindo como estatística das mortes violentas em nosso estado. Até quando vamos viver reféns da criminalidade? Até quando vamos ver os números alarmantes da violência desenfreada em nosso estado? Até quando vamos ver os governantes, o poder judiciário, as altas cúpulas dos órgãos que compõem o ciclo de segurança pública fecharem os olhos para tal realidade? Quando será feito algo que realmente seja suficiente para que voltemos a viver no Estado de Sergipe que sempre conhecemos como sendo um lugar tranquilo e pacífico?

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

PROJETO DE AUXILIO ALIMENTAÇÃO EM DEBATE

Dentro de um amplo debate, que ainda ocorre, no seio da classe. Após o recebimento de algumas sugestões e considerações. O projeto de Auxilio Alimentação tem sido aperfeiçoado e sofreu algumas modificações no texto inicial protocolado no Comando da PMSE.Segue para a apreciação.


#OrgulhoDeSerPraça
#AuxilioAlimentaçãoJá
#UnicaBaseForte

domingo, 1 de outubro de 2017

NOTA PÚBLICA-UNICA


A UNICA vem a público lamentar o ocorrido na noite de sexta (29) entre dois policiais, que após uma discussão trocaram tiros e resultou na morte do Policial Civil. É notória a fatalidade desta ocorrência, já que os mesmos não sabiam da condição de policial de ambos. Tal fato lamentável poderia ocorrer com qualquer um dos agentes de segurança pública, que diante de uma pessoa armada saque também sua arma para se defender. 

Ao especularmos as motivações, esquecemos que também estamos todos sujeitos à mesma vulnerabilidade. Portanto, o julgamento deverá ser feito por parte do Poder Judiciário e a apuração por parte das Polícias e acreditamos na imparcialidade de tais instituições. 

O momento agora é de reflexão e de apoio às famílias envolvidas no fato. Também acompanharemos de perto até a elucidação completa do caso para que seja garantida a ampla defesa e o contraditório do Policial Militar no processo e que seja feita a devida justiça.

ASCOM